On segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Essa é mais um série do Ateu e a toa, olhar fotos com paisagens e dizer que deus está no ar, nas flores, nos passarinhos, nos cambau é muito lindo né. Achem deus na foto. Não tem nem tempo. É mais difícil de achar o Wally... Com certeza! Será que deus está vestido de urubu?


Camisas Vero

17 comentários:

Douglas disse...

........ que deus é esse que deixa seus filhos morrerem de fome completamente abandonados??? será que ele prefere matar a fome do urubu ao invés da fome da criança???

Fabenrik disse...

É Doug, é a realidade, tá aí pra quem quiser ver e desafio a me responderem onde veem deus nessa foto!

Don Juan disse...

deus táno brioco do urubu, eu vi!!!!

Fabenrik disse...

Tá realmente em qualquer lugar menos para olhar pela criança!
Quero ver vir religioso dizer q a criança merece!

Anderson Kami Sama disse...

A beleza não é unilateral seja a humana e tampouco a universal. Aos nossos olhos esta cena é desprovida de qualquer percepção agradável mas aos olhos da não tão secundária ave de rapina, tal cena é bela, grandiosa e principalmente vital para manutenção de sua existência. Segundo o Dicionário, "beleza" significa "Perfeição agradável à vista, e que cativa o espírito". A definição de "beleza" pelo Wikipedia é "uma experiência, um processo cognitivo ou mental, ou ainda, espiritual, relacionada à percepção de elementos que agradam de forma singular aquele que a experimenta".

Por mais cruel seja este raciocínio, a ave participa ativamente deste processo, tendo sim nesta cena tão deprimente aos nossos olhos e julgamento humano algo belo e ajustável para sua existência. Afinal, como mesmo sugere o autor do texto em tom de deboche: "deus está no ar, nas flores, nos passarinhos...", oras, deus também está na vida do pobre urubu, tal como deveria estar na vida da pobre criança.

Eis o dilema de deus, salvar a criança (onde deus está presente) e deixar o urubu morrer de fome (onde deus está presente) ou deixar a criança morrer (onde deus está presente) para servir como uma bela e nutritiva refeição à ave de rapína (onde deus está presente)?

Se eu fosse deus, materializaria vários nacos de carne, tanto para o urubu quanto para a pobre criança. Mas como sou um reles humano, fico aqui divagando sobre o conceito de beleza e me contentando em não prevalecer o conceito humano da palavra com o conceito universal, considerando todas as formas de vida. Afinal, não sejamos egoístas, pois assim como o universo não deve "girar" em torno de um deus, nós também não somos os seres mais importantes destes.

Fabenrik disse...

Concordo, porém a temática aqui seria salvação, merecimento por servir e ao olhos do religioso se fosse ele no lugar da criança deus seria capaz inclusive de fazer milagres como um outro animal morrer e o urubu não "morrer" de fome, e ainda por cima salvaria seu servo.

Sendo essa criança tbm amada por deus desmerecedora dessa graça e quando se pergunta a um religioso onde está deus, ele sempre cita as coisas belas q existem e de forma alguma associa qualquer desgraça como um produto do seu deus onibenevolente.

E se vc se fosse deus o faria é um ótimo sinal que moralmente vc é muito melhor que deus, anderson.

Como dizem todos somos melhor q essa invenção humana chamada de deus, este mesmo deus se permite isso realmente está inerte a tudo q acontece e não tem consciência e se tem consciência e não faz nada então não pode nada, e se pode e não faz é um filho da puta.

Uma grande parcela das pessoas sentem pena ao ver essa foto. E deus sente?

Fica a pergunta...

EDUARDO LANNA disse...

essa pergunta é bem típica de ateu,mais vamos lá vou lhe dizer aonde esta Deus,no mesmo lugar de sempre,dentro do coração dessa criança.vc disse ai no comentário acima que quando vemos essa foto ficamos chocados e triste por não suportar tamanha tristeza correto?ai lhe pergunto qual é a culpa de Deus se o governo desse pais é corrupto e não consegue dar uma vida digna para esse povo?ou vc acha q essa criança esta viva graças a quem a vc,a mim ao lula,ao baracack obama?não graças a misecordia de Deus.ai vc pode dizer ué mais que culpa que a criança tem nisso,nenhuma e te pergunto e que culpa Deus tem nisso?é Ele quem assina decretos aqui na terra?é Ele quem constroi bomba nuclear?para finalizar deixo lhe algo bem reflexivo..o ser humano é tão burro mais tão asno que ele criou algo para matar ele mesmo.adivinha o q?

REVOLVER

GRAÇA E PAZ

E POR FIM DEIXO UMA SUGESTÃO ALUGUE OU BAIXE DA NET UM FILME CHAMADO HOTEL RUANDA.

VOCÊ VERÁ PORQUE DE TANTA POBREZA E MORTES NESSES PAISES

Fabenrik disse...

É claro q é culpa dele... ele pode tudo e fica inerte a isso... enquanto dá atenção a um pedido q passe em uma prova de ensino fundamental (o q perto do drama dessa criança não é nada)...
deus leva méritos pelas coisas boas então deve levar mérito pelas coisas ruins, se isso fosse feito acabaria sua hegemonia na cabeça do cristão, pois ele no final das contas veria q atribui graças ou desgraças a um ser imaginário...
deus não está nem nos passarinhos, nem nas árvores, nem na paisagem e muito menos nesse urubu q só está cumprindo o papel na natureza dele (como disse o anderson)e muito menos no coração dessa criança q realmente não tem culpa do governo dela ser uma merda...
Eduardo vc mesmo como crente em deus se inforcou com a propria corda, quando te perguntei em outra ocasião deus estava em tudo quanto é lugar e pq não está no governo desse país... pq nao tem culpa... ele é onipotente... ou esqueceu... ou quando pede graça para a sua vida esquece dessas situações q a foto mostra... quando te pergunta isso acaba o delírio em seu deus e passa a culpar o homem mas se a foto tivesse um homem ou um bicho espantando o urubu vc levantaria a mão para os céus pois deus olhou para a criança...

Anderson Kami Sama disse...

De qual deus estamos falando? Se for o baseado em preceitos e doutrinas monoteístas, em específico o cristianismo, concordo veemente. Esse deus cristão é de fato um fanfarrão.

Mas suponhamos que eu acordei inspirado e decidi acreditar em um deus Gaia, baseado na natureza, no entropismo e entalpismo e nessas viagens todas. A esse meu deus não se aplica nenhum desses raciocínios quanto a injustiça de deus por não ser justo a um objeto vivo, tão vivo quanto qualquer outro objeto presente na foto. As plantas, a ave de rapina, aos microorganismos.

Será que em algum lugar do mundo (ou do universo) alguém não acordou acreditando e seguindo a um deus assim?

Como fica?

Abracos
Anderson

Fabenrik disse...

Eu ia exatamente colocar um complemento do meu comentário, estava pensando isso no ônibus pq realmente deixei isso em aberto com relação a resposta dada a vc, Anderson.

Em um deus consciente, que possui uma figura, uma representação não há meios de acreditar sem ignorar muita coisa.

Mas vc como agnóstico, tem seu modelo de divindade ou seja lá o q for o causador disso tudo?


A incapacidade em responder certos questionamentos nos faz dar muita importância a pergunta, dando muita importância é possível q o motivo dessa pergunta existir deva ser algo mais importante ainda, na grande maioria de cunho sobrentural, algo q nos levasse uma experiência jamais vivida. Vc só não é ateu pra deixar em aberto esse questionamento por não conseguir provas concretas e absolutas da inexistência de qualquer forma de ser ou causa criadora maior. Então vc pode deixar em aberto tbm a possibilidade existência do unicórnio rosa e invisível, do macarrão e do bule voador e de outras histórias incomprováveis. Pensando dessa forma podemos deixar tudo em aberto.

Anderson Kami Sama disse...

Fábio, a grande questão para o agnóstico não é apenas essa lacuna, essa brecha neste e em qualquer questionamento quanto a existência ou não de divindades, mas sim a posição do agnóstico quanto a uma divindade ou "deus" existir ou não ser simplesmente o descaso, não havendo a necessidade de considerá-la dentro dos seus preceitos filosóficos, já que além disso tudo ser relativo, se até mesmo considerarmos nossa lógica como a verdade absoluta, tanto a existência ou não deste ser superior esbarram no princípio de falseabilidade de Popper, um dos alicerces da metodologia científica a qual os ateístas se sustentam, já que não é possível falsear as duas ocorrências (existir ou não).

Existem um texto muito legal escrito por André, do Ceticismo.net que postarei (tentarei postar) no comentário seguinte.

Anderson Kami Sama disse...

Como o blog limita o número de caracteres, segue link -
http://ceticismo.net/comportamento/entendendo-o-agnosticismo/

Leitura recomendada a todos os ateus!

Abracos
Anderson

Fabenrik disse...

Quando vc responde q não sabe, neste caso está na mesma q o ateu, a diferença é q o ateu não assume a possibilidade da existência de um deus, mas pelo q me parece a possibilidade de uma divindade para vc, estaria livre de consciencia e forma definida caso tivesse q defini-la.
Mas entendo sua forma de pensar, não é de um tanto inválida mas não me serve de resposta, todas as lacunas das respostas ainda não obtidas serão respondidas com a lógica e humana.

PS - Gostou do blog?

fabenrik

Anderson Kami Sama disse...

Fábio, talvez um dia estas respostas sejam sim obtidas embasadas na lógica e na razão humana. Mas aí eu pergunto:

1 - elas são imutáveis?
2 - sendo elas imutáveis, só existem estas e são estas as ue regem a verdade universal? Por que não considerar a lógica de um cão? De uma barata? Ou de um alienígena? Ou de uma nova espécie humana escondida em algum canto no planeta? Ou a lógica de outras linhagens humanas ancestrais?

E, consideremos a lógica e razão Homo sapiens do século XXI como verdade universal, se afirmarmos que deus existe ou não existe, esta afirmativa esbarra no já citado conceito de falseabilidade. A existência do Universo permite a hipótese de que algo o criou e deus/ divindade incluem-se no campo das hipóteses. Resta aos 2 lados - teístas e ateístas provarem ou refutarem. Porém dificilmente o farão por não conseguirem criar modelos atuais que possam medir algo supranatural.
E, quando você descobre que um dos maiores físicos da atualidade diz que o universo pode ter se criado a partir do nada soa tão fantasioso quanto atribuir a uma divindade este fardo sob o ponto de vista de um ateu.
Até a ciência é uma verdade em permanente reconstrução e reformulação. sendo o campo científico um campo de dúvida e questionamento permanentes. Diferente do ateísmo, que é um campo de convicção. Quando um agnóstico diz que não consegue provar a existência ou inexistência de deus, ele simplesmente diz não conseguir chegar à uma conclusão, um argumento atualmente racional. Sem contar que isto é indiferente pois os acontecimentos do universo não deixam de acontecer, definindo ou não a existência de deus.

Fabenrik disse...

Acho até desnecessário lhe dizer isso, mas a lógica e o tudo q envolve esses questionamentos, o homem/cientista busca, a ciência "atira" para tudo que é lado, porém só as que conseguem comprovação do que alegam tornam-se ciências verdadeiras, disso vc bem sabe. O que me surge de curiosidade é se vc acredita em algo que não tem comprovação? Pode até tentar para não ser preconceituoso mas sua mente acaba não aceitando, ainda mais você que não é um cara ignorante. Se disser para vc que tenho um milhão de reais mas vc não ve evidências disso e me vê sempre na mesma vidinha, trabalhando no telemarketing, talvez uma faculdade, namorando e nada aparentemente mudando. Você vai indagar a si mesmo e depois para mim, e só vai acreditar quando evidenciar isso, mostrando-lhe minha conta com um milhão de reais. A falta de evidência de algo me impede diretamente em acreditar em alguma coisa, alguém, ou um evento que seja. Ainda mais quando diz respeito a assunto de origem muito séria.


fabenrik
ateu e a toa

Amorim disse...

Fabenrik,

Essa foto é ótima!
deus vestido de Urubu!

indiquei o seu blog pra vários amigos por aqui e eles me responderam que gostaram muito, segundo eles por ser bem diversificado e divertido.

Um abraço amigo!

Fabenrik disse...

Muito obrigado mesmo pelo apoio Amorim, conto mesmo com vc, vou sempre tentar agradar a galera, e quero ouvir as críticas construtivas!

Postar um comentário

Antes de postar, conheça as "Regras", por favor.