On quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Pesquisando sobre quem seria o primeiro ateu, achei esse texto, um pouco tendencioso, mas interessante, confiram:




 O título de primeiro ateu moderno é geralmente atribuído a David Hume (1), embora ele nunca se tivesse assumido como tal. Porém, a verdade é que Hume chegou à posição ateísta criticando a filosofia de Descartes.







Antony Flew é (foi) considerado por alguns o maior filósofo ateu contemporâneo. No seu conhecido ensaio The Fundamentals of Unbelief, o ponto de partida para o seu ateísmo é - quem havia de ser? - Descartes. (2)





Descartes procurou demonstrar racionalmente a existência de Deus, mas falhou caíndo no chamado círculo cartesiano. Ao fazê-lo, porém, ele abriu uma avenida que outros iriam tentar de novo sem qualquer vício de argumentação. Era inevitável, porém, que cada tentativa resultaria num falhanço e cada falhanço produziria um ateu.





Em retrospectiva, eu sinto-me bastante feliz que Descartes tenha falhado e, todos aqueles que na sua esteira tentaram demonstrar racionalmente a existência de Deus tenham falhado também, embora a expensas da produção de uns quantos ateus.





Na realidade, nós podemos imaginar o que seria o mundo hoje se Descartes, ou qualquer um dos que lhe seguiu o rasto, tivessem demonstrado a existência de Deus por argumento racional e lógico. Deus teria sido engaiolado pela razão humana, seria hoje objecto de demonstração por parte dos estudantes do ensino primário como quem demonstra o Teorema de Pitágoras, e a ideia de Deus teria sido completamente banalizada.





Uma sociedade onde qualquer homem desde a mais tenra idade tratasse Deus por tu, no sentido de se sentir confiante e ser capaz de demonstrar a Sua existência pela razão, seria uma sociedade impossível - um resultado que seria bastante pior do que aquele que temos hoje, que é uma sociedade onde apenas temos de tolerar uns quantos ateus, mas que, não obstante, permanece uma sociedade viável.

 
Fonte Portugal Comtemporâneo

Camisas Vero

7 comentários:

Mats disse...

Interessante é que Hume, como um ateu (?) duvidava da uniformidade das leis da natureza. Ele não acreditava em Deus, e logicamente dizia que não há fundamento para se assumir que as leis científicas vão funcionar no futuro como funcionaram no passado.

Curioso que hoje em dia os ateus nem se apercebem o quão anti-científico o ateísmo é.

Hoje em dia somo levados a acreditar que para se ser um bom cientista, tem que se acreditar que Deus não existe ou que não interfere no mundo natural.

Fabenrik disse...

Não somos levados Mats, não existe, e se existisse realmente não interfere. Fato.
Mas obrigado pelo comentário.
Está a convidado a voltar sempre.


Fabenrik
ateu e atoa

JustUnderMe disse...

Boas,

Existe fundamento lógico para se pensar que as leis de agora funcionarão no futuro. Podia não haver na altura dele mas hoje existe.

Mesmo que assim fosse não percebo qual o problema. Novas descobertas podem trazer novas ideias para a mesa sem problema nenhum.

O ateísmo não é anti-ciêntifico porque um ateu não tem que se valer na ciência nem um cientista tem que ser ateu.

Existem carradas de cientistas que acreditam em Deus. Nunca ninguem disse que um cientista para ser bom tinha que ser ateu --'

Fabenrik disse...

Boa JustUnderMe

Antes de tudo, feliz aniversário.
O esclarecimento que o cientista acaba adquirindo que o faz descobrir a incoerência da existência divina.

Mats disse...

Se Deus não existe, como se explica a expectativa humana de assumir que as leis da ciência são constantes e uniformes?

Porque é que o universo funciona como uma máquina gigante, operando segundo leis racionais e inteligíveis à mente humana?

A posição cristã é a que faz mais sentido, enquanto a posição ateísta, que postula uma origem não-inteligente para o universo, é uma afronta à razão.

JustUnderMe disse...

Boas,

Obrigado fabenrik =D


Se Deus não existe, como se explica a expectativa humana de assumir que as leis da ciência são constantes e uniformes?

Mats, a tua lógica é que é uma afronta a razão xD

Não existem expectativa humana de que as leis são constantes no universo.

No ínicio não existia electro-magnetismo nem gravidade nem forças fortes e fracas. No inicio elas estavam todas juntas e só mais tarde é que se separaram.

Nós sabemos atravez de calculos matemáticos que as forças se vão manter assim como são enquanto o universo se mantiver assim como está. Se ele mudar as leis também mudam e nós podemos sempre acompanhalas.

Porque é que o universo funciona como uma máquina gigante, operando segundo leis racionais e inteligíveis à mente humana?

Agora é que me lixas-te.... Será que o universo trabalha como uma maquina gigante ou será que nós é que o vemos assim?

A nossa vontade de saber e compreender tudo a nossa volta leva-nos a ver caras e animais nas nuvens, a vida como um teste para podermos viver para sempre, o universo como feito para nós.

A verdade é que o universo é uma confusão e nós só tentamos tirar lógica dele formando assim a logica pelo caminho.

A posição cristã é a que faz mais sentido, enquanto a posição ateísta, que postula uma origem não-inteligente para o universo, é uma afronta à razão.

HEHE.... ateísta..afronta a razão xD

A posição cristã é uma afronta a razão porque voces querem ter uma vida boa e a nossa existência é uma merda por isso pensam que existindo um Deus esta vida é um "sonho e a próxima vai ser perfeita. Acordem! Voces sofrem de Pareidolia! xD

Paulo Roberto disse...

Nossa, a mais inteligente e construtiva discussão sobre ateísmo que já vi. Muito bom.

"It's hard to believe there is nobody out there..."

já dizia red hot.
quem é religioso fica confortável com o pensamento de que há um ser superpoderoso olhando por ele e que basta apenas ele seguir umas regrinhas...

eu prefiro a pura verdade!

Postar um comentário

Antes de postar, conheça as "Regras", por favor.